Sobre

"Meu nome é Lillian Cruz, mas você pode me chamar de Lilli."
Essa frase me acompanha há anos, mas isso não vem ao caso. Nasci no dia 9 de março de 1997 e sempre carreguei comigo uma dose exagerada de drama. Sou de Praia Grande, uma cidade do litoral de São Paulo, e amo as paisagens do verão e da primavera, mas meu amor é ainda maior pelo frio. Gosto de tanta coisa que, de vez em quando, fico um pouco perdida quando tenho que fazer uma escolha. Por isso que comecei a estudar Biologia Marinha na UNESP em 2015, mas logo percebi que gostava muito mais de outras áreas e acabei deixando o curso após um ano.

Tenho uma paixão que não cabe em mim pela natureza, mas também sou apaixonada pela beleza dos grandes prédios de São Paulo. Na verdade, sou apaixonada por São Paulo. Meu amor pelo meu estado é imensurável, mas não supera o que eu sinto pela capital dele. 

Sou viciada em música e, conforme amadureci, fui aprendendo a gostar de diversos estilos musicais. Coldplay é minha banda favorita, amo o Tiago Iorc há uns bons anos e sou fã da Sandy desde que me entendo por gente, mas minha playlist tem Caetano, Marron 5, Pitty, Ed Sheeran, Luan Santana, Lulu Santos, Elis e todas as vozes que me agradam. Gosto de ouvir o que me faz bem. 

Também é assim com o meu estilo: não sei definir, só sei que gosto de me sentir confortável. É claro que, como qualquer pessoa, eu uso e abuso de alguns detalhes que fazem a diferença: amo dar um toque de cor e romantismo aos looks. Todo mundo que me conhece já percebeu isso, hahaha.

Tal como a gasolina é para os carros, os sonhos são pra mim. Eles me movem. A cada dia descubro que tenho um novo sonho e me proponho o desafio de transformá-lo em realidade. Já realizei alguns deles, adaptei vários outros e, apesar de acreditar em destino, tento sempre dar um jeito de guiar o meu futuro. Quero fazer história! Mudar histórias. Quero descobrir coisas novas, viajar para as cidadezinhas do interior de São Paulo e para as grandes cidades deste e de outros países, conhecer milhares de cores, paisagens, pessoas e culturas diferentes. Quero fazer o bem e ser lembrada por algo bom, mesmo que esta lembrança só exista na memória de duas ou três pessoas. No fim das contas, o meu maior desejo é deixar minha marca no mundo. Não precisa ser no mundo todo; pode ser no mundo de alguém. E eu estou disposta a fazer isso.